Entrevista a Janine Madeira, Criadora e Account Manager do Poupadinhos e com Vales


Quais eram as vossas expectativas quando se candidataram ao Portugal E-Commerce Awards?

Não existiam expectativas elevadas, foi no sentido de participar e perceber o potencial do nosso site dentro do tema, e obviamente argumentamos com vontade de ganhar, no entanto, queríamos essencialmente estar presentes como um dos candidatos e quiçá que nos abrisse algumas portas mais.



Qual foi a ideia/necessidade que deu origem ao vosso E-Commerce?

A ideia foi sempre ajudar as pessoas que têm mais dificuldade na escolha de produtos de qualidade mas ao mesmo tempo com um preço competitivo.

Especialmente no mundo online, sendo que o que se compra não pode ser visto, não é palpável, há muita tendência a considerar que se um produto é barato, significa que não tem qualidade. O Poupadinhos foi criado no sentido de desmistificar essa ideia e partilhar com quem nos segue boas oportunidades, e artigos/produtos/experiências realmente recomendáveis.



E-Commerce em 2015 e agora em 2021 - como consideram este crescimento e evolução?

É um crescimento gigante. Nem precisamos ir tão longe, E-Commerce 2020 e 2021 teve uma evolução tão grande, devido ao confinamento, que os receios que as pessoas tinham, quase desapareceram. A verdade é que boa parte das marcas criou ou apostou ainda mais nos seus sites de vendas, e muita gente vende cada vez mais e mais por este meio.



Como é que a pandemia e o confinamento alterou as vossas rotinas?

Temos muito mais campanhas a decorrer agora, logo temos mais trabalho. Para além disso, há todo um trabalho de criatividade e reinvenção que não existia anteriormente. Antes de tudo isto era fácil criar um

conteúdo apelativo, bastava ir à loja física em questão, fotografar, ou fazer um vídeo interessante que só por si, isso já vendia! Agora o interesse tem de ser trabalhado, desde nossas casas, muitas vezes sem produto sequer, cativar um público sem uma ação que despolete interesse é e sempre será um desafio.



Qual foi a característica funcional/política de e-commerce que deu origem ao vosso prémio no Portugal E-Commerce Awards e porquê?

Acreditamos que é o factor feedback real. Além de não aconselharmos nada que não seja por nós testado e (muito importante) que a relação qualidade preço seja incrível, a relação de credibilidade que ao longo dos anos criamos com a audiência, acresce uma confiança extra. Quem compra por conselho nosso, por diversas vezes, refere que só deu o passo após ter percebido que aconselhávamos, caso contrário não o faria.



Com o grande crescimento de E-Commerce nos últimos tempos, como é que se conseguem distinguir da concorrência?

Pelos motivos anteriormente apresentados. A melhor forma de venda é a relação emocional criada, a partir do momento em que te aproximas ou te identificas com alguém por algum motivo, facilmente na hora de comprar a decisão vai recair na pessoa que, de alguma forma, já te marcou positivamente noutras ocasiões. Relações de sucesso e que duram muitos anos, mesmo que sejam as de cliente/vendedor, vão sempre distiguir-nos dos demais.



Quais são os maiores desafios para quem trabalha na área do E-Commerce?

A concorrência e a parte logística, porque qualquer uma delas não é totalmente controlável.



Quais foram as vantagens proporcionadas com a participação no Portugal E-Commerce Awards?

É sempre uma mais valia receber um prémio, é algo que acrescentamos ao nosso Media Kit e valoriza o nosso trabalho na tomada de decisão de uma parceria, por exemplo.



Quais as tendências que apontam nesta área para o futuro?

A tendência é o crescimento, cada vez há mais sites E-commerce, e a pandemia veio ajudar neste desenvolvimento. Esperam-se melhorias, pretendem-se processos de venda cada vez mais rápidos e eficazes, serviços de apoio ao cliente de qualidade, e uma forte aposta na segurança tanto do processo de compra e pagamento, como na qualidade dos produtos vendidos.



Com a constante atualização e desenvolvimento desta área, como é que se acompanha todas estas tendências?

Bench marketing, criatividade e inovação. Sem estas 3 medidas, provavelmente o acompanhamento seria difícil.



Qual o futuro do E-commerce na sua marca? Uma alternativa ou o caminho a seguir?

Um caminho a seguir, sem dúvida, atualmente não existe forma de o ver como uma alternativa, nem neste momento em que não temos lojas a não ser de modo online, nem depois. O hábito foi criado, as pessoas já entenderam a facilidade, gostam das vantagens, e de forma alguma este caminho terá fim nos próximos tempos.



Jornal ECO


Janine Madeira

Criadora e Account Manager do Poupadinhos e com Vales